castelos-do-tejo
PT | ENG
Home > O Que Levar > Produtos Locais
Produtos Locais

No acto de varejar as oliveiras estreia o ritual de criar o “ouro líquido”. Molhar o pão no azeite, receber o sabor da tradição. Brindar as nossas alegrias com o vinho sagrado que nos aquece o coração.

Adoçar a nossa vida com o que a natureza nos dá, com um fio de mel, com o sabor da fruta nas compotas e marmeladas, com as estórias da nossa doçaria. Enriquecer a nossa mesa com os paladares regionais, que se sentem nas morcelas, nas farinheiras, nos chouriços, nas azeitonas, no presunto…

Comungar com os nossos pastos verdejantes através dos nossos queijos genuínos.

É nestes pequenos gestos que se descobre os gostos da terra.

O Mel

A utilização do mel pelo Homem é conhecida desde a pré-história, representada em pinturas rupestres. Também os egípcios, os romanos e os gregos o referenciam, em manuscritos e pinturas, como um produto especial. O mel é um alimento produzido por abelhas melíferas, a partir do néctar das flores e de secreções de certas plantas. O tipo de mel varia conforme a planta donde é extraído o néctar (rosmaninho, laranjeira, rosa, eucalipto, urze, etc.) e a espécie de abelhas que o produz. No Ribatejo, a abelha produtora de mel é a Apis mellífera. Para além da sua função de adoçante, o líquido viscoso extraído dos favos tem propriedades terapêuticas, dado às suas componentes digestivas, analgésicas, anti-inflamatórias, anti-microbianas, e anticépticas. O mel também é usado na cosmética e na cicatrização da pele. A apicultura no Ribatejo remonta ao séc. XII, prova disso é a Denominação de Origem do mel ribatejano que já vinha consagrada pelo uso desde 1178 e, já neste período o seu valor era grande, era inclusivamente uma forma de pagamento. O mestre Templário, Gualdim Pais aceitava como uma das várias formas de gratificação cera de cortiço e favos de mel, ao dar de foral o Carvalhal de Cêras. O mel era outras das culturas de raízes medievais “a que os abrantinos dedicavam grande apreço.” No Ribatejo Interior, o mel é de eucalipto e de multiflores com base a alecrim o que o torna mais escuro em relação ao de rosmaninho e com um aroma indescritível.  

 

Onde Encontrar |  

 

Colmeicentro – Apicultura Abrantes, Lda

Sede - Rua do Bairro Vermelho, nº12

2200-122 Abrantes

Armazém – Parque Industrial Norte, Lote 12 – Alferrarede

2200-480 Abrantes

Sr. Abílio Dias – Tel. +351 241 366 659 | Tlm. +351 919 953 877

D. Irene Dias – Tel. +351 241 371 271 / Tlm. +351 919 894 659

 

José César Jesus

Rua da Estalagem, n.º62

2205-349 Pego

Tlm. +351 962 853 063

 

Quinta Vale da Murta

António Marques

Rua do Tojal

2250–241 Montalvo

Tel. +351 249 739 168 | Tlm. +351 916 902 049

 

“Os Quatro Cantos do Cisne” Assoc. para o Desenv. Social e Comunitário

Rua de Sto. António, nº1 Pereira

2250-340 Sta. Margarida da Coutada

Tel. +351 249 736 679

 

Sociedade Agro- Alimentar da Mascata

Quinta do Côro

Vale da Carreira

2230 - 162 Sardoal

Tel. +351 241 855 302 | Tlm. +351 969 098 665